Total de visualizações de página

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Menina Sapeca


Arte: Juli Cady Ryan


Menina Sapeca

Levou algum tempo menina sapeca
entender o porque é levada da breca
brincando de amar como quem não peca
fazendo os meninos de sua boneca

Segura em seu colo e dá seu carinho
das mágoas e medos fala baixinho
a todo garoto que está ao seu lado
dizendo que ama o apaixonado

Durante as noites mata a solidão
declarando seu amor a um coração
no dia seguinte não conta até vinte
e seu brinquedo encosta no chão

Tem todos bonecos a disposição
querendo carinho e sua atenção
brinca com eles e sempre faz juras
sem ver que amanhã terão amarguras

Só acha importante que seja constante
perante aos olhos dos seus visitantes
que é a mais amada menina no instante
mostrando os bonecos que tem na estante

Menina sapeca amada e querida
de todos bonecos que teve na vida
não vai mais brincar iludindo em amar
um velho menino de alma ferida

Men@
®

domingo, 24 de novembro de 2013

Me Ame Assim

Arte: Linda Lees 

Me Ame Assim


Me ame como eu te amo
não se apaixone por mim
Sou um jardineiro que vive
entre flores de um lindo jardim

Amando as cores das rosas
perfumado de cravo e jasmim
Sonhando com as borboletas
que vivem felizes assim

Minh'alma elas alegram
voando e voltando ao jardim
Me amando em liberdade
pousando no azul do meu brim

A tua felicidade
é uma alegria sem fim
Matando a minha saudade
solidão e meus prantos enfim

Estarei sempre contigo
vivendo o que é bom e ruim
Jamais vou te esquecer
lembre sempre de mim

A Deus elevo oração
clamando por benção e unção
Às almas gêmeas eternas
"amor" de irmã e um irmão

Men@
®

domingo, 17 de novembro de 2013

Cartas

Arte: Ricardo Di Ceglia

Cartas

Das cartas outrora recebidas, restaram
envelopes selados amarelados, tantos
rasgados, ainda carimbados, datados
postados para endereços, quantos


Momentos inesquecíveis, inúmeros
locais, tempos, lindos selos, mimos
ficaram nas lembranças, diversas
conversas e conteúdos, mudos


Sorrisos e o retrato dedicado, planos
juras, promessas e sonhos, enganos
o último pedido e grande vontade, uma
interminável saudade e solidão, muita


Men@
®

sábado, 26 de outubro de 2013

Amanhã

Arte: Alexandra Churchill


Amanhã

Amanhã 
um outro dia vai raiar 
e o sol com a sua magia 
uma nova energia irá brindar 

Amanhã 
nublado, chuva ou tempestade 
como a lealdade de uma amizade 
seus raios de uma nova luz irão brilhar 

Amanhã 
sempre é uma promessa 
ontem, hoje, o tempo não cessa 
para a paz e a esperança se renovar 

Amanhã 
longo trecho de uma estrada 
longe da partida, perto da chegada 
o ontem é passado e o futuro é caminhar 

Men@ 
®

sábado, 5 de outubro de 2013

Como é bom Amar

Arte: Jover Design


Como é bom Amar

Amo à Deus
sobre todas as coisas
Ele conduz
os caminhos meus

Amo os poemas
de amor como tema
Os versos, as prosas
as flores, as rosas

Eu amo as crianças
a música e as danças
O verbo amar
e o amor conjugar

Cultivar amizades
ter esperanças
Crer no futuro
e doces lembranças

Fazer caridade
com fraternidade
Ver um sorriso
brotar sem maldade

Sentir os carinhos
e toda a ternura
E um pranto rolar
de felicidade

Amar, ser amado
ter muita saudade
Entoar as canções
cantar liberdade

Abraçar com carinho
uma boa amizade
Amar sem pudor
a mulher de verdade

Ah!!! como é bom amar !!!

Men@
®

domingo, 29 de setembro de 2013

De Mãos Dadas

Arte: Helga McLeod


De Mãos Dadas

Contigo
basta estar de mãos dadas
ao seu lado ou em pensamento
momentos sem dizer nada

Nossas almas
bem conhecem as estradas
todas as páginas viradas
escritas  no livro do tempo

Viajaram
como estrelas errantes
por longas jornadas distantes
e já conversavam caladas


Men@
®

domingo, 22 de setembro de 2013

domingo, 1 de setembro de 2013

Sem Despedida

Imagem: Google


Sem Despedida

Dóceis juntos do peito
encostados a um coração
quatro cordas, um instrumento
uma voz e a muda canção

Som de silêncio que invade
em momentos de forte emoção
a poesia com sabor de saudade
outono, inverno, primavera e verão

O negro de um corpo trajado
em destaque uma aliança na mão
um pálido rosto tombado
escondido da multidão

N'alma uma só melodia
desde o dia de uma eterna partida
que da solidão fez companhia
sem aviso e sem despedida

Men@
®

sábado, 24 de agosto de 2013

Marcas

Arte: Nik Helbig


Marcas

Nenhum amor
no tempo é findo 
houveram neles
um eu, um tu, um nós

Nós nas fitas
marcadas por laços
atados num antes 
desfeitos após

Seus efeitos 
n'almas às dores  
sem cores imagens
 tatuadas nas mentes

Corações a sós
ouvem calados gemidos
no som do silêncio
ecos de uma voz

Men@
®

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Dá-me

Arte: Sheri


Dá-me
(reedição)

Dá- me
versos a ler
poesias ao meu sonhar
liberdade em querer
esperança de encontrar
amor de se viver
asas para voar

Men@
®

domingo, 4 de agosto de 2013

Pedaços

Arte: Lapteva Viktoriya


Pedaços
(reedição)

Um pedaço de mim a (metade)
com um pedaço a (metade) de ti
As (metades) d'um todo de nós
(inteiro) em cumplicidade

A saudade invade latente
na ausência de um pedaço (metade)
O peito pedaço (metade) presente
que sente a dor e pondera

Se entrega à (metade) pedaço ausente
com o amor do pedaço (metade) se alimenta
Na mente preenche o vazio existente
supera a dor da espera


 Men@
®

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Trem da Esperança


Imagem: Google

Trem da Esperança
(reedição)

A vida é uma viagem
dentre todas as andanças
viajamos nesse trem
sobre os trilhos das distâncias

Conduzido pelo amor
transportando as lembranças
planos, meras fantasias
e nossos sonhos de criança

Corre o tempo e o trem avança
vai parando em estações
e entre as belas paisagens
surgem novas emoções

Os sorrisos a quem chega
de quem parte uma saudade
um sobe e desce de bagagens
repletas de ilusões

No caminho a natureza
é que compõe as poesias
dando adeus para as tristezas
e bem-vindo as alegrias

Trem e vidas num compasso
em seus passos como uma dança
que bailando a paz se alcança
pois seu nome é esperança

Men@
®

domingo, 7 de julho de 2013

Meu Vício



Meu Vício
 (reedição)

Nem tudo na vida é perfeito
assim foi desde o início
Há dias em que tudo é facil
outros tudo é mais difícil

Perfeita é a natureza
com toda a sua majestade
Sol, lua, estrelas
vento, chuva e tempestade

Vales, rios e montanhas
florestas, cachoeiras e mares
Há flores com vários perfumes
maravilhas em todos lugares

Águas que matam a sede
de todo o meu sacrifício
O amor minh'alma alimenta
e a poesia é o meu vício

Men@
®


quarta-feira, 26 de junho de 2013

Cordas

Cordas
(balada do louco)
(reedição)

Para aqueles que não sabem
eu confesso uma mania
minha enfermidade crônica
assim melhor diria

Sou um eterno fascinado
por instrumentos musicais
de todos os tipos existentes
talvez os que não façam mais

Mas, nada mais me alucina
que as "benditas" cordas,
começando com as mais finas
as "divinas" cordas vocais

Seus graves, médios e agudos
em equilíbrio de afinação eficaz
soam em meus ouvidos apurados
e encantado encontro a minha paz

Cordas improvisadas como cintos de aventais
tensionadas e transformadas em varais
onde as vejo sou capaz de tocá-las
com os meus dedos para ouvir o som que faz

Tudo começou desde menino
na capela da escola para ir tocar o sino
nela tive que me pendurar
e me agarrei, não a soltei mais

Cordas e instrumentos musicais
guitarras, contra-baixos, banjos e violões
violas, violinos, violoncelos e rabecões
rabecas, cavaquinhos, banjos e bandolins

Harpas, cítaras, guitarras Havaianas e afins
e os berimbais da Bahia nas regiões praianas
órgão não ! piano sim ! piano sim ? piano sim !
tem as cordas escondidas e teclas de marfim

Ai de mim... ai de mim
há quem diga que vivi em outra vida
que tocava e cantava num jardim
e as mulheres se apaixonavam por mim

Que um Rei feio, ciumento (lazarent...)
ditou-me uma sentença e foi assim
me fez tirar água do poço sem caçamba
em seguida caminhar na corda bamba

Depois me fez subir no cadafalso
com uma corda no pescoço
e ordenou: - Enforca esse moço !
e na multidão alguém gritou: - Acordaaa!!!

Acordaaaa... e eu acordei
acordaaaa... a corda nunca mais deixei
a corda, quantas vezes nela tropecei,me enrolei
a corda, quantas vezes com ela me salvei

À corda, o primeiro relógio de pulso que usei
à corda,  um primeiro instrumento toquei
dando corda, de problemas me livrei
"sem corda" num casório "me enforquei"

Acordaaa...: - disse alguém mais uma vez
e eu acordei... e bem acordado, concordei
mais uma vez sobrevivi e acreditei
a corda é minha sina, nela me amarrei

Vocês acham que sou louco ?
loucos são vocês !!!
que lêem tudo o que eu escrevo
e ninguém "acorda" de uma vez

Men@
®

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Ela e o Sol Nascente


Imagem: Google
Autor desconhecido

Ela e o Sol Nascente
(reedição)

Assim que ela acorda
em nossa cama desarrumada
levanto para abrir a janela
e a vejo dar uma espreguiçada

Prá beirada empurra o lençol
me atira um travesseiro
com a fronha amarrotada
e me abraça ao ver o sol

Na janela se debruça
com seu corpo bronzeado
me dá um beijo ardente
expondo a nudez mais bela

Me sorri tão alegremente
que nem sei a quem mais ama
a minha amante inconsequente
se a mim ou ao sol nascente

Men@ 

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Voar na Poesia


Voar na Poesia



Na infância 
unindo vogais às consoantes 
percebendo que escrevia 
provei uma alegria 

Com o tempo 
nas pautas de um caderno 
rabiscado em harmonia 
as primeiras poesias 

Primaveras 
se passaram então 
onde só podia escrever 
sobre as asas de um avião 

Sobrevoando 
sobre nuvens de algodão 
do oceano percebi a imensidão 
e meu poema se fez sonho 

Voar... 
tudo o que mais queria 
falar do amor em mim 
e voar na poesia 

Men@ 
®


Estes versos estão na Antologia Voar na Poesia